O que é um turismo rural?

O turismo rural é a modalidade de turismo que promove o contacto direto com a natureza e as tradições locais. Isto, sem nunca perder de vista a preservação do património e do meio ambiente de cada região.

Deixamos-lhe, por isso, um desafio.

Antes de planear a próxima viagem, faça um exercício simples. Pense nos ingredientes de umas férias de sonho. Vieram-lhe à cabeça palavras como “tranquilidade”, “descanso” e “natureza”?

Então, o turismo rural vai certamente conquistá-lo. Porquê?

Porque oferece um equilíbrio perfeito entre o silêncio do campo, a simpatia de quem o recebe e a beleza da paisagem. Passar férias num turismo rural é, por isso, garantia de ser recebido com um sorriso, num ambiente familiar que convida a “recarregar baterias”. Quanto a isso não há qualquer dúvida!

E sabe que mais? Há cada vez mais pessoas a descobrirem os encantos do turismo rural. E não é de admirar. De Norte a Sul, há opções para todos os gostos e interesses.

Antes de fazer as malas, vale a pena conhecer toda a oferta!

Turismo rural Alentejo

Esqueça a Riviera Francesa. Esqueça a Costa de Amalfi. As melhores praias da Europa ficam a apenas uns quilómetros, na rota vicentina que atravessa o Alentejo.

Da Comporta à Zambujeira do Mar, a costa alentejana é um postal de praias de areia fina e águas calmas. Um postal onde os próprios visitantes são convidados a entrar, para nele passarem manhãs de repouso e tardes de convívio. E nem nos faça falar do pôr-do-sol…

Sim, há areais alentejanos imortalizados pela música portuguesa. É o caso do “lugar de Porto Covo” e do “pessegueiro na ilha” – para sempre gravados na voz de Rui Veloso. Mas a verdade é que muitas das praias alentejanas continuam um segredo por descobrir.

Entre os areais mais movimentados de Troia ou a privada Praia do Queimado, cabe-lhe a si decidir onde pousar a toalha.

Descubra o que o turismo rural alentejano lhe reserva…

Mas nem só de praia vive o Alentejo. Nesta encantada província respira-se cultura.

O cante alentejano, os chocalhos, o barro de Estremoz e a arte da falcoaria fazem parte do Património Cultural Imaterial da Humanidade. E também as cidades de Évora e Elvas foram distinguidas pela UNESCO.

O nosso conselho?

Inclua o Templo Romano e a Capela dos Ossos de Évora no seu roteiro. Se sobrar tempo, conheça também a imponente fortaleza de Elvas.

Diz a sabedoria popular que no Alentejo se vive mais lentamente.

Aqui, é a própria natureza a ditar o ritmo dos dias. E, para apreciá-la, nada como um passeio de barco que o leve a ver os golfinhos selvagens do Estuário do Sado.

Se quiser “viver verdadeiramente o Alentejo”, confie o seu descanso a um alojamento de turismo rural. Os mais comuns são casas de campo, em herdades a perder de vista onde reina a calma e o silêncio. Muitos são emoldurados por hortas biológicas, vinhas ou olivais. E é também frequente que os visitantes possam ajudar a cuidar dos animais da quinta.

As piscinas exteriores são um elemento quase obrigatório do turismo rural no Alentejo, assim como os extensos jardins que convidam a relaxados passeios.

Se o turismo rural no Alentejo lhe parece promissor, deixamos-lhe três desafios:

  • Descubra uma das praias secretas que escapam ao comum turista
  • Conheça os aromas e sabores da região com uma prova de vinhos. Os tintos são encorpados e têm notas de frutos silvestres; os brancos são suaves e têm aroma a frutos tropicais
  • Leve os mais pequenos a explorar o Badoca Safari Park

Turismo rural Norte

No Norte de Portugal, até as pedras da calçada são História. Terra de bem receber – seja com um sorriso e a pronúncia do Norte, seja com uma refeição bem regada – esta região conjuga a riqueza do seu património histórico e a beleza das suas paisagens como nenhuma outra.

De um lado, os castelos, santuários e igrejas. Do outro, as montanhas, os parques naturais e as vinhas cultivadas em socalcos.

Os casais encontram refúgios românticos para uma escapadinha a dois. Os grupos de amigos deliciam-se com a gastronomia tradicional e as provas de vinho. As famílias viajam até tempos medievais ao entrarem nos vários museus e monumentos.

Caso para dizer que todas as bússolas apontam para Norte.

Descubra o que o turismo rural nortenho lhe reserva…

Durante o dia, pode até perder-se pelas ruas forradas a pedra e azulejo das cidades de Braga, Porto ou Viana do Castelo. Mas assim que o sol se ponha, confie o seu descanso ao turismo rural.

No Norte, os alojamentos de turismo rural podem tomar a forma de antigos solares, quintas apalaçadas ou casas de campo.

Seja qual for a sua opção, uma coisa é certa: todas respiram História.

Os alojamentos do Norte combinam o conforto dos dias de hoje com o charme de tempos idos. Não é, por isso, de admirar que encontre uma eira tradicional ou até uma pequena capela na casa que escolheu para passar férias!

Se o turismo rural no Norte lhe parece promissor, deixamos-lhe três desafios:

  • Viaje até ao passado, visitando Guimarães, o berço da nação
  • Delicie-se com as iguarias de Amarante, a capital dos doces conventuais
  • Deambule sem mapa pelas paisagens verdes e frescas do Norte

Turismo rural Portugal

Sabemos que pode estar a perguntar-se: “porquê Portugal?”. Com aviões que demoram poucas horas a deixar-nos do outro lado do globo, porquê explorar Portugal?

Cinco razões.

Porto e Norte. Centro de Portugal. Lisboa. Alentejo. Algarve.

Cinco regiões tão diferentes entre si, mas ao mesmo tempo tão ricas em cultura, paisagens e gastronomia que vale sempre a pena (re)descobri-las!

O Porto e Norte trazem-nos a simpatia e a maneira de ser “desenrascada” que tão bem nos caracteriza. Trazem-nos também as paisagens de cortar a respiração, com as vinhas em socalcos do Douro e as colinas verdejantes de Trás-os-Montes.

Não sabemos se foi a zona ribeirinha ou a Livraria Lello a arrebatar os jurados dos World Travel Awards. O certo é que a cidade Invicta conquistou o prémio de Melhor Destino Europeu para uma Escapadela Urbana.

O Centro de Portugal traz-nos as tradicionais Aldeias do Xisto e as pitorescas Aldeias Históricas. E é também desta região que nos chegam iguarias como o Leitão da Bairrada, o Queijo da Serra da Estrela ou os ovos-moles de Aveiro. E a melhor parte? Nem precisa de sair da zona centro para queimar os excessos desta aventura gastronómica. Com mais de 60 kms e sem nunca perder de vista o mar, a ciclovia da Estrada Atlântica pode ser percorrida de bicicleta, patins ou skate.

Lisboa traz-nos uma capital cosmopolita eleita Melhor Destino City Break do Mundo. E as razões para bater palmas são muitas. Afinal, a distinção veio dos World Travel Awards, os “Óscares do Turismo”.

O Alentejo traz-nos as planícies a perder de vista e partilha com o Algarve as praias atlânticas que convidam à prática de desportos aquáticos. O surf é disso mesmo exemplo, mas a lista continua. Entre as experiências únicas oferecidas pelo Sul de Portugal, estão também as viagens de balão, os saltos de skydive e as partidas de golfe em campos a perder de vista.

Turismo rural Douro

Tínhamos dito que “o Norte de Portugal é uma região como nenhuma outra”. Pois bem, a ela voltamos. Desta vez para falar sobre o Douro.

Este encantado vale, classificado como Património Mundial pela UNESCO, é a mais antiga região vinícola demarcada do mundo. Como se tal não bastasse, as suas paisagens parecem saídas de um quadro. Miguel Torga chegou mesmo a chamar-lhe um “poema geológico”.

Parar junto de um miradouro e apreciar a paisagem é, por isso, obrigatório. A pensar em si, escolhemos três opções:

  • Miradouro de São Leonardo de Galafura (Régua)
  • Casal de Loivos (Pinhão)
  • Quinta do Seixo (Valença do Douro)

Na hora de conhecer o Douro, pode optar por uma viagem de barco, carro ou comboio. Ou melhor ainda: experimentar as três!

Comece por descobrir o Pinhão, centro da região demarcada do Douro, com um passeio num tradicional barco rabelo. Depois, visite a cidade da Régua – a estrada panorâmica (EN222) que une o Pinhão à Régua é absolutamente imperdível. Lá chegado, embarque numa viagem pelo tempo à boleia do comboio histórico a vapor que o deixará na estação do Tua.

Ao espreitar a paisagem, encontrará as uvas que dão origem ao famoso Vinho do Porto. Mas desengane-se quem pensa que precisa de estar no Douro para degustar o melhor Vinho do Porto.

Também na Sete Quintas lhe damos a provar este néctar dos deuses. Experimente! Prometemos que o sabor do Vinho do Porto está ao nível da sua fama.

Descubra o que o turismo rural no Douro lhe reserva…

Foz Côa é outra das paragens obrigatórias. Porquê? Porque o Parque Arqueológico do Vale do Côa esconde um dos grandes tesouros da Humanidade: as gravuras rupestres. Neste museu ao ar livre, há mais de mil rochas com manifestações rupestres classificadas como Património Mundial da UNESCO. Algumas chegam a ter 25 mil anos.

E já que falamos de História, a Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, a apenas 30 minutos, é outro dos pontos a não perder. Entre muralhas, ruínas, igrejas e pelourinhos, os vestígios medievais de Castelo Rodrigo fazem desta aldeia uma verdadeira viagem ao passado.

Depois de caminhadas, passeios e provas de vinho, nada como entregar-se ao repouso num alojamento de turismo rural. No Douro, pode optar entre as tradicionais casas de granito ou as luxuosas quintas cuja vista se abre sobre as vinhas.

Se o turismo rural no Douro lhe parece promissor, deixamos-lhe dois desafios:

  • Aproveite o mês de setembro para participar nas vindimas
  • Não deixe de provar o famoso Vinho do Porto. Entre branco, ruby e tawny, o difícil é escolher

Turismo rural Gerês

Falar do Gerês sem fazer referência à sua incrível biodiversidade seria imperdoável. Habitat de mais de 200 espécies animais – algumas das quais em perigo de extinção – o Parque Nacional da Peneda-Gerês foi classificado como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO. Em Portugal, é o único com esta distinção.

Caminhar pelos seus trilhos é, por isso, uma autêntica aula de biologia. E não deixe a máquina fotográfica em casa. A probabilidade de encontrar lontras, martas e imponentes aves de rapina é grande!

Dentro do parque natural, os desníveis da Serra do Gerês criam lagos e cascatas de água límpida, que são emolduradas pelo verde da vegetação circundante. Estas piscinas naturais fazem as delícias de toda a família.

Caso se queira aventurar em desportos aquáticos, seja em canoa ou em mota de água, basta rumar à Albufeira da Caniçada. E também a Barragem de Vilarinho das Furnas convida a um mergulho nas águas geladas do Norte de Portugal.

Descubra o que o turismo rural no Gerês lhe reserva

Se preferir as águas termais às águas geladas, não se preocupe. Está no sítio certo.

A água termal do Gerês é conhecida, desde o tempo dos romanos, pelo seu poder terapêutico em doenças do fígado, diabetes ou hipertensão. Com piscinas, banhos turcos e massagens, visitar as Termas do Gerês é um programa de saúde, beleza e descanso.

Para prolongar este efeito retemperador, nada como confiar o seu repouso aos alojamentos de turismo rural no Gerês. Nestas encantadoras casas de campo, respira-se o ar puro da serra e é-se recebido com simpatia e atenção.

Se o turismo rural no Gerês lhe parece promissor, deixamos-lhe dois desafios:

  • Embarque numa expedição fotográfica pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês
  • Não perca a paisagem deslumbrante junto à Cascata do Arado

Turismo rural Algarve

Bem no Sul de Portugal, o Algarve é um quadro que se pinta com três cores:

O azul do Oceano Atlântico, de onde as redes de pesca trazem para terra atuns, douradas e espadartes. O bege da areia e das falésias. E o verde da vegetação selvagem e da agricultura.

Do litoral ao interior, a paisagem algarvia é tudo menos monótona. A Serra de Monchique oferece trilhos pedestres e belíssimos miradouros, enquanto as extensas planícies se enchem de pomares de figos, alfarrobas e amêndoas. Sem esquecer, claro, a doce laranja do Algarve.

Para apreciar esta riqueza natural, nada como uma caminhada pela via algarviana, pelos Passadiços do Alvor ou pelo Calçadão de Carvoeiro. Este último é uma estrutura de madeira construída na própria falésia, que lhe permite contemplar toda a costa algarvia…

… incluindo o promontório de Sagres. Não deixe, por isso, de conhecer este imponente cabo rochoso que marca o limite sudoeste da Europa.

Descubra o que o turismo rural no Algarve lhe reserva…

É sabido que as praias algarvias são das mais quentes de Portugal. A Praia da Manta Rota, a Praia da Rocha e a Praia da Marinha são apenas três dos areais que não pode mesmo perder. A Praia da Ilha da Fuzeta é outro deles.

Mas para conhecer este extenso areal é necessário subir a bordo de um barco. Aceita o desafio?

Então, encontrará uma praia onde a água do mar ronda os 22ºC. Aqui, é possível alugar barcos, fatos e pranchas para praticar os mais variados desportos aquáticos. Da canoagem ao windsurf.

À beira-mar plantada, Lagos é outra das cidades que não pode deixar de conhecer. Rodeada por muralhas e torreões, a cidade combina o charme do seu centro histórico com o aspeto moderno da sua marina, onde atracam os mais luxuosos iates.

Seja em Lagos, na Serra de Monchique ou em Sagres, as opções de turismo rural no Algarve são muitas. Entre propriedades isoladas e casas próximas da praia, a escolha é sua.

Se o turismo rural no Algarve lhe parece promissor, deixamos-lhe três desafios:

  • Visite as grutas e falésias da Ponta da Piedade
  • Prove os Dons Rodrigos, os doces mais famosos do Algarve
  • Descubra a via algarviana, que une o litoral ao interior do Algarve

Turismo rural Serra da Estrela

É a mais alta serra de Portugal Continental. Do sopé ao topo, as paisagens são de cortar a respiração e as pitorescas Aldeias Históricas que aqui se encontram foram, em tempos, importantes pontos de defesa e povoamento do território.

As histórias, lendas e mitos não nos deixam mentir. As Aldeias Históricas de Portugal ditaram mesmo os destinos de uma nação!

Para além das Aldeias Históricas, também aqui se localizam as encantadoras Aldeias de Montanha, casa de gente simples e genuína.

Falamos, claro, da Serra da Estrela.

E se precisa de mais motivos para visitar a região, a natureza apresenta-lhos…

A Serra da Estrela é, desde 2020, um Geopark Mundial da UNESCO. Na base desta distinção estão a riqueza da sua flora e fauna – habitat de coelhos, raposas e lobos – os seus vales glaciares e as nascentes dos rios Mondego, Zêzere e Alva.

A nossa sugestão? Não perca o vale glaciar do Zêzere e, no início da caminhada, aproveite para conhecer o Covão d’Ametade.

Garantimos que não se vai arrepender.

Descubra o que o turismo rural na Serra da Estrela lhe reserva…

Os alojamentos de turismo rural na Serra da Estrela podem estar inseridos em Aldeias Históricas, em Aldeias de Montanha ou em pousadas. Se há algo que todas têm em comum é a forma como combinam a traça tradicional com o conforto e o luxo dos dias de hoje.

Na Serra da Estrela, passado e presente andam de mãos dadas.

A tradição beirã mantém-se viva nos castelos e nas muralhas. Mas também nos pastores e rebanhos de ovelhas que por aqui passeiam e cujo leite é usado para fazer o ancestral Queijo da Serra da Estrela. Não deixe, por isso, de provar esta iguaria da região.

Sabemos que, depois de viajar ao passado, saberá bem regressar ao presente. É por isso que sugerimos uma visita aos murais de arte urbana da Covilhã. Vhils e Bordalo II foram dois dos artistas a dar cor à cidade.

A pensar em quem prefere o campo à cidade, deixamos uma última recomendação.

“Perca-se” nos trilhos pedestres ou de BTT da Serra da Estrela. Inserida na região vitivinícola da Beira Interior, as paisagens que se oferecerão aos seus olhos são encantadoras. Da Rota das Cerejas do Fundão à Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal (GR22), difícil será escolher.

Se o turismo rural na Serra da Estrela lhe parece promissor, deixamos-lhe dois desafios:

  • A pé ou de bicicleta, percorra os 600 km da GR22 que une as 12 Aldeias Históricas de Portugal (mas, calma, claro que não precisa de fazer tudo de uma vez!)
  • Em dezembro, deixe-se encantar pela iniciativa Cabeça – Aldeia Natal

Turismo rural em Portugal

Façamos agora uma pausa. Recapitulemos o que até aqui dissemos.

De Norte a Sul, já demos provas de que o turismo rural se adapta realmente aos gostos e interesses dos viajantes. Não importa quando viaja, para onde viaja ou com quem viaja. Há sempre um alojamento de turismo rural à sua medida. E também não faltarão atividades com que ocupar as suas férias.

Uma escapadinha no turismo rural português é uma viagem ao passado, sem prescindir dos confortos do presente. É a oportunidade perfeita para dar a conhecer aos mais pequenos os hábitos e tradições do tempo dos avós. É a desculpa ideal para não fazer nada ou para calçar as sapatilhas e percorrer todos os quilómetros que ficaram por caminhar durante o resto do ano.

Seja qual for a sua escolha, uma coisa é certa. Viver o turismo rural em Portugal é uma experiência enriquecedora e inesquecível.

“Receber bem” é uma das imagens de marca do povo português. A forma como o turismo rural em Portugal acolhe os seus hóspedes é prova disso mesmo.

Por isso, já sabe: sinta-se em casa e desfrute. As melhores escapadinhas estão à sua espera!